Um país na contramão – Favelas

Um país na contramão – Favelas

Um país na contramão em urbanização de favelas

 

Como é nos países desenvolvidos:
Consideram morar em favela a última e mais degradante opção para qualquer cidadão. Favelas não podem existir, pois significaria aceitar a perpetuação da desigualdade social, principal origem de tensões sociais e da violência. Atacam a origem do problema oferecendo apoio psicológico, moradia, educação e oportunidade de trabalho para o menos favorecido elevando sua expectativa quanto à qualidade de vida.

 

Como é no Brasil:
Favelas proliferam e são urbanizadas. Suprimem a denominação "favela" passando a chamá-las de "comunidades".
Oferecidas como opção de turismo de aventura atraem pequeno número de estrangeiros para curtir programas como “Venha conhecer a pobreza e a violência de perto!”.
Anestesiam a sociedade enaltecendo a favela em prosa e verso, como no Rap da Felicidade (Mc Cidinho e Mc Doca): 
“Eu só quero é ser feliz / Andar tranquilamente na favela onde eu nasci / E poder me orgulhar / E ter a consciência que o pobre tem seu lugar”. A mensagem é clara - conforme-se, pois como ninguém irá te ajudar, é melhor desistir de progredir na vida e se contentar com o pouco que tem.
A principal emissora do país, a Rede Globo, passa a enaltecer a vida na favela exibindo, em horário nobre, novela  com todo a trama ocorrendo em "Paraisópolis" uma das maiores favelas paulistanas.

"É mais fácil governar mantendo baixas as aspirações da sociedade".

E-MAILiT

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>